sábado, 17 de novembro de 2018

ALDRAVAS E ALDRAVIAS


vi
aldrava
via
sonhos
portal
poesia



Graça Campos/ NOV/2018

Lincença Criative Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

quinta-feira, 15 de novembro de 2018

E VIVA A ROSA, Mais que flor , mãe : AMOR!




Ela revive e presenteou as filhas, florescendo no jardim da Graça, da Rosa e agora, no jardim da Bia. Que lindo presente, mãe! Gratidão!
Olho a rosa , vejo o amor ensaiando cantigas ...
Sonho um sonho de menina, vejo o quimono que labutou em sua dedicação de matriz. Sinto fragrâncias de mimos, cores e preces... E a vida renasce em cena, em nossas memórias irmanadas.
“Mães não morrem. apenas ficam encantadas”, dizem os poetas.
Mãe, cada galhinho de tua roseira, brotou com força total, aquela força que , quando as filhas mais precisaram, receberam de teu olhar firme, esverdeado e repleto de esperança, os abraços e palavras de otimismo, fé e bom ânimo. Da expressão de cada encontro, das visitas, possíveis presenças , de remoçarmos a vida e continuar nossos caminhos...
Quem não se lembra? O sorriso na face, e as palavras de coragem:
“Hoje estou com a FORÇA TOTAL”! Basta buscar na memória, e as palavras ressoam trazendo essa incrível força com certeza!
“E viva a rosa, a rosa, as rosas
Cantadas em verso, cantadas em prosa
Rosas em flor, rosa em botão
Dentre as flores, Mãe e “Estrela”, a mais bela
Mais que flor , mãe : AMOR!
Nossas roseiras florescem, nossos corações agradecem a presença , o aroma, a cor rosa preferida, tudo é vida, mãe querida!
Ela revive e presenteou as filhas, florescendo no jardim da Graça,😍 da Rosa 😍e agora, no jardim da Bia😍. Que lindo presente, mãe! Gratidão!🙏🌷🌷🌷🙏



Lincença Criative Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

domingo, 23 de setembro de 2018

Viajando na memória dos encontros






Sou retalhos
Caminhos
Cheiros
Abraço e beijo
Sabores...

Riso de encontros e lições de siso
por onde se tecem fios de histórias,
fatos e feitos,
prosa, verso
e vida...

Sou argila refazendo jarro e pote, 
ora trincados, 
vazando olhos chorosos.
Sou semente e canteiro,
prezo dotes.
E me enfeito de arte, 
trançando cores, 
conquistando passos, 
vestida de flores.
Evito verbo que talha, 
ensaio o gesto que valha
a cor da paz,
a musicalidade, 
o silêncio pensador,

por um ato de amor!
Maria das Graças Araújo Campos. Viajando na memória dos encontros. 21/09/2018.
GraçaCampos

sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Viajando na memória dos encontros





Sou retalhos
Caminhos
Sabores
Cheiros
Abraços
Beijos...

Riso de encontros e lições de siso
por onde se tecem teço fios de histórias,
fatos e feitos,
costurando em prosa e verso,
A vida...

Sou argila refazendo jarro e pote,
ora trincados, vazam olhos chorosos.
Sou semente e canteiro,
prezo dotes
e me enfeito de arte,
trançando cores,
conquistando passos,
vestida de flores.
Evito verbo que talha,
ensaio o gesto que valha
a cor da paz,
a musicalidade,
o silêncio pensador,

por um ato de amor!

Maria das Graças Araújo Campos. Viajando na memória dos encontros. 21/09/2018.

GraçaCampos

Lincença Criative Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

terça-feira, 19 de junho de 2018

Montanhas, Esculturas Divinas

Montanhas, Esculturas Divinas - Beijos de Céu e Terra...

Montanhas 
Beijos de Céu e Terra... Mãe-Natureza, exemplo de amor, respeito e união.
Diversidade, riqueza de reinos sem nenhuma ambição.
Abrigo de milhares de espécies irmãs e irmãos animais, vegetais, minerais, portanto, incalculável patrimônio, humanidade!
“Paraíso Ecológico”, “Montanha Desafiadora”, “Paisagem Sagrada”, “Inspiração” são palavras que vêm para saudar, ao avistá-lo nas abençoadas oportunidades pelas trilhas de meus passos caminheiros.
Da janela de minha alma, respiro poesia escultural! Adoço a vida de cheiro e cor, de sede e saciedade fazendo rimas ou versos brancos, pintando a tela que integra o elenco e faz da arte e do(a) artista, todo ouvidos aos sussurros de anjos que dão os toques mágicos da realização...
Oh, majestoso PICO DO ITAMBÉ, onde o cerrado brota. (E brotará de novo).
Berço do tempo de água e flor!
Abençoado seja!
Maria das Graças Araújo Campos Homenagem. Montanhas, esculturas Divinas.
Graça Campos, 11/12/2015.
Lincença Criative Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3....
Exibições: 62

Olhos de mar e mel


OLHOS DE MAR E MEL...

O mar é sonho, desejo, contemplação.
Mar de viagens, miragens, batalhas e glórias
Cantando os sons, acordes da divina permissão.
Os pés na areia são marcas da memória
E as mãos de mãe ainda menina contornam castelos
Imaginados, esculpidos...  Realeza da vida.
Conto histórias de encantar as princesinhas.
“OLHOS DE MEL” caminha pela areia e apanha, uma por uma, as conchas.
(2 aninhos).
Ao colo, “OLHOS DE MAR,” nos seus primeiros meses,  remando pensamentos.
Busco minúcias da paisagem e acaricio os fios de ouro dos seus cachinhos.
Águas vestidas de criaturas fantásticas, corais, mistérios, paixão...
Um leva e traz nos ventos e balanços
E a imensidão!
Espumante, a grande saia arrasta pela praia, babados rendados.
Parece que foi ontem. O mar, as ondas, minhas pequenas, as águas, as histórias...

Tempo, senhor de sonhos, realidades,
Senhor da memória viva!
Cenas se repetem!
A cada nova criatura, manifesta-se o Criador e o sentimento maior abraça o amor,
O amor à vida que renasce nos seres que nos vêm,
Verdadeiros presentes, estrelas cadentes em braços contentes.
Geração de ser mãe, de ser mãe com açúcar, de ser avó.
Banhar-se nas águas salgadas que se transformam em “doces” momentos...
Adentrar o mar e mergulhar nos movimentos do destino, duplamente feliz e plena de amar!
Sentir que a vida é mesmo bonita! É bonita por demais! É bênção! É guarida!
Ao som do infinito canto do viver de corpo e alma, carregando no colo,
a filha de minha filha de olhinhos da mesma cor, da cor das águas.
De novamente, de mãos dadas, apanhar conchas do caminho com o PEQUENO PRÍNCIPE" da mesma idade com que contavam os meus “OLHOS DE MEL”!
Não por acaso, o tempo acontece!
O mar se abre em ato de doação, a mãe-natureza reza!
E os babados das saias acariciam as lembranças...


Maria das Graças Araújo Campos, 07/01/ 2016.
Graça Campos
 

Lincença Criative Creative Commons License






De repente um(a) self


De repente um(a) self

Acredito na paz, processo de conscientização da grande tarefa do equilíbrio: O Todo.
Acredito na paz de verdade, aprendizado contínuo em busca do amor em sua essência.

E o que é o amor senão amar?

E o que é amar?

A caridade é amor de amar sem restrições,
a alegria, o sorriso de amar,
a paciência, amor pelo tempo,
a lágrima, o temporal interior.
A dúvida, questão da fé...
O respeito é o amor vestido da personagem à frente de qualquer eu...
O olhar do amor vê a coragem e a fragilidade humana se confrontarem a cada segundo das existências.
O Self do amor reflete a imagem do pensamento.
A fotografia do amor, infinita edição de mosaicos em outra pele...
E a certeza do amor é plenitude divina!


Graça Campos, 27/01/2016. 
Lincença Criative Creative Commons License

QUARESMEIRA SAGRADA

QUARESMEIRA SAGRADA

Essência floral, energia vital ao cerne da alma.
Que a fé persista e a visão ensaísta 
preserve o bem nos seres imperfeitos
em busca de conquistas...
Quaresmeira sagrada, Olmo, consciência da vida em prece,
onde a seiva percorre raízes que acolhem os sonhos 
e preenche o realismo das ramas suspensas, 
sustentando liberta a realidade que floresce...
Flores roxas, azuis, flores róseas despertas
vêm saudar os caminhos da lida
a quem vê e quem sente as alturas, 
nas lições de valores perdidos, 
relembrando a Paixão e o Cristo, 
a quaresmeira, árvore mística 
sentimento real de amar!
Em rumores assopram as cores do tempo 
revelando florada artística
Flores roxas, azuis, flores róseas despertas,
Transmutação, 
Quaresmeira sagrada!
Maria das Graças Araújo Campos. Poema. Quaresmeira Sagrada.
Graça Campos/13 /02 /2016
Lincença Criative Creative Commons License