sábado, 8 de agosto de 2009

Beija-Flores


Seus voos múltiplos à criação do aconchego
distanciando buscam minúsculas propriedades.
Garranchos, gravetos, cipós,
retalhos da natureza tecidos com arte e primor.
Casais amantes esticam, se entreolham,
observam o espaço assegurado com zelo,
com amor, a construção.

O ninho, o âmago o coração, a emoção...
Os beija-flores ágeis, intocáveis,
tocam leves em doces semblantes o mel,
as faces das flores
Voos céleres, asas delicadas
de um sonho quase invisível,
em tempo de estima.

Em cores convíctas
vislumbram os olhares da criança
ao velho sábio.
Levitantes rabiscam inebriantes recados.
Das penas recebo mensagens
de boas notícias de amáveis visitantes....


CAMPOS, Graça. Texto poético.Publicado no Mural dos eEscritores. 2009.


Todos os direitos reservados ao autor. Não autorizada cópia. Divulgue a leitura através deste blog: http:gracacampos.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário