sábado, 22 de agosto de 2009

Pedra Redonda

Tela e poema: Graça Campos





Na grande Pedra Redonda
nasce o rio
ele em busca do mar
ela a desejar os céus...
Já foi morada de gente
anfitriã dos peregrinos...

Nossa Senhora, quanto devoto!

Nossa Mãe!
Vou subir à pedra
entoar uma prece
Ó, padroeira santa!

Ouça!

Os botocudos dos ventos gelados estão a pedir

o rio cheio de peixe, o rio cheio de vida...

De cá eu avisto, do caminho real

a Pedra azul Redonda a reinar...

e o rio?
cheio de peixe?
de vida?

SERÁ ???





Graça Campos Belo Horizonte, 22/08/2009

Todos os direitos reservados ao autor. Não autorizada cópia. Indique a leitura através deste blog: http://gracacampos.blogspot.com

3 comentários:

  1. Mãezinha, belíssima reflexão sobre a natureza, e também sobre a vida, por que não...
    Lindo...

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Se de uma Pedra imensa, e Redonda, pode nascer um rio (e que rio, senão o Jequitinhonha!), então, de um coração sensível, quantos poemas maravilhosos poderão surgir?

    Parabéns, mana Graça.

    Beijos do mano,
    Leosino

    ResponderExcluir
  3. Tinha uma grande "Pedra Redonda" no meio do caminho... nesse cadinho de tua existência, florescendo continuamente, por meio de palavras musicadas, quais poesias pintadas em tua alma que brotam de teus anseios mais sublimes.
    Beijo no coração
    Leo Araújo

    ResponderExcluir