terça-feira, 29 de setembro de 2009

NÓs da POESIA


Lançado na Bienal do Rio de Janeiro de 2009
Após lançamento também em São Paulo, o livro "Nós da Poesia" será lançado em Belo Horizonte no próximo mês. A capa contém as fotos de todos os poetas participantes do livro
O poema "Nós Dois" está na antologia.


Abre a cortina, aflora teus desejos!
Teu corpo, santuário de amar...
Intento do pecado ousado!


Escolhe tuas façanhas, e vem me saciar...
Não há segredo, tudo está revelado
Na simplicidade de nosso viver!

A taça em que degustas saboroso vinho
De forte tom, impera um ritual...
Tu, Sol, me aquece e faze-me brilhar.
Eu, Lua, chego a flutuar.

Na primavera traze-me poesias
Perfumadas pétalas em cores;
Entre um verão e outro, aromas sofisticados...
No outono nos douramos entre as folhas
Até nos aquecermos para o inverno...

E, quando o ocaso se aproximar,
Entregar-te-ei meu coração em chamas
Vamos beber de novo do vinho tinto
Da cor do bem querer de nossas vidas.


Haverá uma lareira crepitando
Um cesto farto das frutas de sempre
Que eternamente serão nossas delícias...
Damascos, framboesas, tamarindos;
Pitangas salpicadas de orvalho
No canto, à esquerda estarão as flores
Uma a uma, girassóis e estrelícias...
Tranças de vime, alvos guardanapos
Farão o composé à nossa moda
Que jamais falte o pão de cada dia
Sagrado alimento!
E trocaremos mimos e petiscos
Lado a lado, até a última fatia
De um doce e eterno amor!

Autora: Graça Campos (em 24/01/2009.)

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Educação

Foto: Graça Campos




" A consciência é a presença de Deus no Homem."


Victor Hugo


Educação vem do latim - educare, que significa criar, alimentar, ter cuidado com, formar, instruir, produzir por via culta.

Educador é o que cria, formador. Criar vem do latim - creare, engendrar, procriar, produzir, dar à luz, fazer nascer.



À mestra, com carinho

Autor: Leonildo Miranda Araújo


Galga os ares, ganha espaço, voa
E dentro do som que do seu peito ecoa,
Ensina docemente em maestria
E canta em versos a filosofia.


Fala não somente com a visão,
Mas mostra o interior do coração
A todos que vislumbram em fantasia,
O amor em flor em vasos de emoção.


Na entonação, na cor da inspiração,
Vai conclamando em olor sua lição
De repassar aquilo que sonhou,
Aos seus queridos filhos coirmãos.


Pois é no despertar do ser que soa
O alvorecer, a liberdade que povoa
A integrar em harmonia aluno e mestre,
A derramar de si sua alegria.


Na voz dentro da voz do aprendiz,
Que iluminada pulsa, vibra e expande
O externar da gratidão contida
Dentro do agradecer da própria vida.




Á querida mana Graça, pelo seu aniversário.
Do mano Leonildo
Abril de 98.

Todos os direitos reservados ao autor. Não autorizada cópia. Indique a leitura através deste blog: http://gracacampos.blogspot.com

Coração, Coração Rosal da Gente



Na primavera, as roseiras floridas vergam de tanta rosa.
Mas alguém passa, olha o botão mais lindo, corta-o do galho e leva-o;
Silenciosa é a mágoa da roseira...
Mas outra mão eis que se aproxima, e devastando tudo que de rosas queira
Um porção arranca, colhe uma por uma todas as rosas sem deixar
nenhuma...
No entanto, é primavera, o tempo passa, novas flores rebentam na roseira
e ela revive em beleza e graça , a primavera inteira...

Coração, coração rosal da gente;
Se te magoa acaso a mão de alguém
Não queiras nunca te vingar também
Não tenha nunca um gesto de rancor
Guarda a roseira que calada sente
Mas cujo pranto desabrocha em flor.



(autor desconhecido)
Publicado por Graça Campos

Soneto à Graça

Autor: Leosino Miranda Araújo
Foto: Luciana Campos





Quarenta e quatro anos se passaram.
São muitas luas que ficaste a olhar,
Tantas estrelas que nos céus brilharam,
Outras que estavam prontas prá te amar.

A simpatia que vive em teu lar,
Atraiu a paz, e juntas ficaram
Neste ambiente tão familiar,
Onde amizade todos adotaram.

E sob esse teto, onde mora a Graça,
Karina e Ari, Viviane e Lu,
A pedir estás, que o amor se faça.

Hoje o sol raiou. Vê distante a lua,
Quanta poesia, mas a Graça és tu,
Pois aqui risonha, está a alma tua.


Á minha querida irmã, Graça,
pelos seus 44 anos,
do mano Leosino




Abril de 98.
Todos os direitos reservados ao autor. Não autorizada cópia. Indique a leitura através deste blog: http://gracacampos.blogspot.com