domingo, 28 de março de 2010

A Bacia, o Rio, o Aquário Gigante

"Ninguém se banha duas vezes no mesmo rio." (Heráclito)

Créditos das Fotos: Luciana Campos Março/2010.

VIDA NOVA AO RIO SÃO FRANCISCO

Belo e forte, saudável e rico foi, um dia, o rio que se enfraqueceu e ficou carente causa das ações doentias e covardes. Sofreu pelas atitudes agressivas e descontroladas regidas pela ignorância da própria sorte da sobrevivência humana.
O rio desbotou, desarrumou-se, mudou de cor e os peixes se afogaram em lamas, seu leito acordado gemia confuso e estressado.

As águas se recuperam?

Gota a gota, em consciências e consciências. Mais fértil é o desejo do rio de seguir... O rio quer seguir seu curso.

Os caminhos que andam fartos de abusos reencontrem forças e sejam novamente, viajantes no tempo, repletos de vida, berçário de peixes, de plantas e acordem apenas com sorrisos pescadores, o respeito dos nadadores, com os apitos dos navios, o mergulho dos bichos, acrobacias dos peixes, a crença nas crenças da vida por si!

Graça Campos, 28/03/2010. Publicado em http://sosriosdobrasil.blogspot.com/2010/03/cantinho-literario-o-velho-chico.html



Créditos da Foto: Luciana Campos

A Lenda da Origem do Rio


Vivia entre os índios de várias tribos felizes, uma linda mulher, a doce Iati, noiva de um forte guerreiro. Houve uma guerra nas terras do norte e todos os guerreiros se foram para a luta. Ao andarem,seus passos afundaram a terra formando um grande sulco. Dentre eles, encontrava-se o noivo da bela índia que, tomada de saudades do amado, chorou copiosamente. Foram tantas as suas lágrimas que escorreram pelo chapadão,se despencaram do alto da serra formando uma linda cascata, que caiu no sulco criado pelos passos dos guerreiros, escorreu para o norte e lá muito longe se derramou no oceano, e assim se formou o rio São Francisco.


Seu descobrimento é atribuído ao navegador genovês Américo Vespúcio, que navegou em sua foz em 1501. O nome é homenagem a São Francisco de Assis, festejado naquela data. A 4 de Outubro de 1501, uma expedição de reconhecimento descia a costa brasileira, rente ao litoral, comandada por André Gonçalves e Américo Vespúcio e vinda do Cabo de São Roque. A região da foz era habitada pelos índios, que a chamavam Opará, que significa algo como “rio-mar”.

As Carrancas

As carrancas são manifestações genuínas da arte popular brasileira que desenvolveu-se na região do rio São Francisco, por artistas populares denominados carranqueiros.
Pensando em criar uma identidade própria para as embarcações que navegavam pelo rio São Francisco, artistas esculpiam enfeites de proa. Esses elementos de decoração sempre representavam uma escultura de cabeça e pescoço de alguma figura, que misturava traços humanos com traços animais e apresentava uma expressão de figura mitológica indeterminada e de grande impacto, dando origem à arte das carrancas. Hoje, essa arte popularizou-se.
Podemos encontrar as carrancas não apenas nas proas das embarcações do São Francisco, como simples enfeite, mas tornou-se um disputado elemento de decoração e parte do acervo de museus nacionais e estrangeiros, sendo suas peças de grande valor de comercialização para turistas. O artista que mais se destacou nessa arte foi Francisco Biquiba Dy Lafuente, o Francisco Guarany, pois foi o único artista carranqueiro que viveu exclusivamente da produção de carrancas.



Foto por Luciana Campos

Aquário da Prefeitura-Bacia do Rio São Francisco

A riqueza da Bacia do Rio São Francisco poderá ser apreciada de perto na Fundação ZOO-BOTÂNICA de Belo Horizonte. Para receber os peixes, foi realizada uma sofisticada ambientação com pedras, areia e cascalho, pedaços de madeira curtidos, além de plantas aquáticas. A maior atração do complexo é o "AQUÁRIO SÃO FRANCISCO", . Os visitantes têm a impressão de ver a estrutura de níveis que compõem um leito de rio, com gradação de cores e texturas. O local conta com infraestrutura composta de auditório, jardins, laboratório, lagoa, lanchonete e lojinha.


" Ao visitar o AQUÁRIO, tive a oportunidade de conhecer outras espécies de peixes e obtive várias informações sobre o "VELHO CHICO".

gracacampos.blogspot.com
Obrigada pela visita!


2 comentários:

  1. De: Leonildo Miranda Araujo Leo

    Data: 30 de março de 2010 12:23
    Assunto: RE: O Velho Chico
    Para: Graca Campos

    Oi Graça.

    Belíssimo esse seu desaguar de sentimentos, afluentes da vida por si mesma, a se mover ondulante nos caminhos da existência. Que o seu curso contínuo, juntamente a um Novo Chico, embasado na sensibilidade que flui de sua natureza interior, possa atingir um mar de sonhos possíveis e felizes.
    Beijos
    Leo Araújo

    ResponderExcluir
  2. Sou feliz de ter comigo uma irmã maravilhosa, consciente e que luta pela paz!
    Beijos e parabéns mana!

    Rosângela
    03/04/2010.

    ResponderExcluir