sábado, 6 de março de 2010

A mulher que passa...


Olha a mulher que passa
Por inteiro mulher
Que se tornou madura,
Mas tem no coração a meiguice de menina...
Bela se arruma se enfeita,
Sensual, sem exageros.
Auto-estima de bem-viver!

A mulher que passa, olhares tantos encanta!
Sua imagem, cheiro e andar
São mistérios de momentos
Ninguém sabe desvendar...
No balanço cadenciado vão-se os quadris e os seios...

Olha a mulher que passa com marcas fortes do tempo
Cada traço uma história, um cuidar, um sentimento.
Os anseios, corre-corres, intempéries e as conquistas
Traz em seu rosto sereno, um sorriso acolhedor
Sábia, cultua mais que zelo exterior
Convicta de que o feminino vai além de uma estampa.

Sensualidade não se compra
Nem tampouco se encomenda
É da própria natureza!
Não existe cirurgia que possa com tal beleza...
Deve ser vaidosa sempre na medida certa
A escravidão da alma deteriora o corpo
Por mais que seja perfeito...


Graça Campos

Nenhum comentário:

Postar um comentário