quinta-feira, 4 de março de 2010

VISUAL

"Mulher em frente ao espelho" Picasso 1932




Cabelos impecáveis em cachos dourados
A cada dia um novo penteado
E lá vou eu em pensamentos mil
Negra nuvem tempestuosa
Que dá para as janelas de minha alma
E chove chuva derretendo plúmbeo céu
De coração magoado que despedaçado
Dói por desregrado amor

Dos brincos e colares jóias raras
Há lápides de muitas amarras
No rosto de semblante mítico
A máscara disfarce de um riso
Um colo frio, mais parece um palco
Intocável, vazio, sem platéia
Mãos finas, aparentes delicadas
Incapazes de ler as próprias linhas
Embutidas na insegurança
Corpo perfeito por aí afora
Desfilo pela vida

Oca oca oca vida


As previsíveis marcas vêm surgindo
A ilusão das aparências evidentes
Eu preciso livrar-me dessa sombra
E trazer à tona o brilho do meu SOL
Assim vou me reconhecer de corpo e alma
Na frente do espelho...



Graça Campos.
Todos os Direitos reservados ao autor. Indique a leitura deste blog.

Nenhum comentário:

Postar um comentário