segunda-feira, 19 de abril de 2010

CÉU de VAN GOGH


O céu de Van Gogh
De noite estrelada
É um céu de sonhar
Porque ninguém rouba o brilho de uma estrela.
Nem mesmo um piscar
Na fagulha do pisca-pisca
Não existe o obscuro
Os pontilhados vão se emendando
E brilham para sempre...
As faíscas, pincelados redemoinhos de luz.
E o Sol de Van Gogh, mil girassóis.
Estrelas floridas...


Graça Campos,19/04/2010.Todos os direitos reservados ao autor.

2 comentários:

  1. Van Gogh, em sua evolução essência-artística com certeza lhe emana sóis e brilhos de estrelas! Se eu fosse van Gogh eu adoraria!!! Maravilhoso, mãe! Beijos, Karina

    ResponderExcluir
  2. Coisa mais linda este poema!
    Poucas palavras, muita inspiração, puro brilho de uma poetartista!
    Beijos.

    ResponderExcluir