quinta-feira, 6 de maio de 2010

A PEDRA AMARELA




A Pedra Amarela

Vejo no colo nu da bela jovem
Mulher tão pensativa
Inquieta miragem no tempo
A jogar de seu âmago
Amargura, quietude de alma chorosa.

Muito longe, um andar solitário
E de face um tanto sem vida
Dos meus olhos se aproximou
Por forças afeiçoadas

Encontrei no caminho os soluços
Ainda um resto do rastro do eco
Soluções do querer, do aceitar
E um brado soou: Oh, espera!

O que faz da ventura de ser?
Paciência, a paz do viver!...

De toda a cena, meu olhar terceiro
Vislumbra intenso brilho
O colo já não mais desnudo
Vestiu-se em luz de pedra amarela

A grande pedra lhe devolve aos olhos
De cada gota uma felicidade
Prevista em dourados raios
A alcançar a vida no seu corpo inteiro

A pedra luz, o sol interior
Alimento, aconchego,
Vem do amor
E um grande laço de um ser MAIOR!...

Graça Campos, 06/05/2010.
Todos os direitos reservados ao autor.

Um comentário:

  1. Perfeito! O sol arde neste peito! Lindo, lindo, lindo! .......................
    Bjos, Ka

    ResponderExcluir