quarta-feira, 9 de junho de 2010

Arte perfeita?

Detalhe da pintura em tela que se encontra no catálogo do XIV Circuito Internacional de Arte Brasileira

2ª Etapa Museu Pablo Neruda - Isla Negra / Chile
Título: As Muitas Faces 2009

Graça Campos



Um texto pictórico, complexo, repleto de questões implícitas na subjetividade de cada observação, nas releituras onde se povoam sugestões, reestruturação tanto da óptica do artista, quanto do crítico em evolução.

Portanto, creio eu, uma obra de arte nunca está realmente “pronta”, e sim criada a partir de um contexto, assumida perante o momento da visão anterior, mas estruturada em valores.

A busca da perfeição é inerente aos dons artísticos culturais em suas habilidades em fases aliados à bagagem e momentos reais da humanidade.

Uma obra de arte pode, sim, estar perfeita para um, e imperfeita para outrem, quando se julga apenas pela linha da técnica ou do conhecimento que ressalvo relevante, mas nem sempre...

"Os quadros mais bonitos são aqueles com que sonhamos quando fumamos cachimbo na cama, mas que jamais pintamos. Mesmo assim devemos atacá-los por mais incompetentes que nos possamos sentir ante a perfeição indescritível, os gloriosos esplendores da natureza."
Van Gogh

As artes "traduzem o real,", mas traduzem o imaginário que é trazido para o real. O real será o concreto ou abstrato?
Uma de minhas dúvidas... rrrssss...
Assim, vão-se pintando os nossos sonhos e eles se transformando em verdades...

Verdades absolutas? Verdades de cada um...

A linguagem processada através de imagens é universal, transparente, pode ser lida e “entendida” em todos os idiomas no espaço das invenções e críticas.
As novas tecnologias e formas de expressões da arte devem ser vistas como meio à disposição da liberdade do artista, que se somam às técnicas e aos suportes tradicionais, para questionar o visível, convidar à exposição da impressão e expressão, dadas as ações.
Causar impacto é uma das linguagens universais.
As experimentações tornam-se riqueza de informações, as lições dos mestres ( Grandes Mestres da Pintura) são repletas de sentidos e sentimentos...

O fazer pensar, exercitar, excitar, refletir, descobrir o que esteve por detrás do branco ( material) invisível, uma história, que não havia sido registrada e com identificações no momento incrível das percepções.

Nos pincéis pululam entre pigmentos, tons e cores vibrantes da alma, atitudes que o próprio artista não havia percebido. A expressão de uma ideia gera infinitas ideias.
Atrair o pensamento e o sentimento , o novo , propor, ousar criar...

"As motivações e concepções que mais me instigam ao ato de criar são desenvolvidas nas idéias dos destinos “concretos” que, por vezes, mais nos parecem abstratos.

A verdadeira arte, acredito, transpõe a beleza e o encantamento dos momentos.

Atrair olhares para contribuir com a conscientização do papel essencial do ser humano reflexivo, ativo e pacífico, enquanto artista é a minha mais aguçante meta."

Graça Campos 08/06/2010.

Nenhum comentário:

Postar um comentário