quinta-feira, 17 de junho de 2010

Praça da Liberdade

Imagem do Google
Coração da cidade
Entre ecléticos estilos
Caminhadas e encontros
Modernidade

Mas lá estão as palmeiras
Imperiais
Um olhar na tradição

Sento no banco da praça...

Versos saltam do coreto e da fonte luminosa
Sinto o cheiro das folhagens que me assaltam
Estou cercada de prédios, de edifícios famosos

Liberdade, liberdade...
Imaginar as montanhas
Na poesia concreta,
Das linhas do “Niemeyer”

Graça Campos
Belo Horizonte, 17/06/2010.

Nenhum comentário:

Postar um comentário