quinta-feira, 21 de outubro de 2010

CAÇADORA DE MEUS "EUS"



Imagem da web



Caçadora de meus “eus”
Mistérios e descobertas
Sou achados e perdidos
Inconsciência das fugas
Ou entrega absoluta

Sou de meus “eus” as chegadas
Horas vivas celebradas
Saudades de tantas vidas
Metade em transparência
Outra metade escondida

Sou Lua de minhas fases
Aprendendo as mutações
Imaginária esperança
De cores e versos brancos
Sobrevoos de minh’alma
Realidade e fantasia

Sou noite longa de insônia
Na ânsia do amanhecer
De uma alvorada de cânticos
Onde a essência das flores
Acorda os meus segredos

Sou o chão que piso
Sou detalhes, sou ouvido
Das paredes que guardam
Partes de mim repensadas
Vivências, lembranças
Outras partes esquecidas

Sou aurora e crepúsculo
Descalça, sem pecado
Despida de preconceito

Abotoada e vestida
Indiferente, camuflada
Sou razão, sobrevivência
Reticências...

No inverno me escondo em agasalhos
Inda suspeita em certa timidez
Silenciosa, observo magnólias
Primeiras flores do tempo
Reinvento dourar-me em raios de sol
Até que um vento incerto
Desafie minhas forças

Assim como o tempo voa...
Serei pássaro liberto
Percorrendo os horizontes

Sou o que serei...



Graça Campos, 18/10/2010.
CAMPOS, Graça. Poema. CAÇADORA DE MEUS EUS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário