quinta-feira, 4 de novembro de 2010

CAMINHOS



Imagem do Google

Quando pisam os pés
À escolha dos passos,
Uns vindo, outros indo
Em busca de laços
Ultrapassam sem ver,
Na pressa de chegar
Até mesmo as pedras
No meio

Caminhos estreitos
Sem saída os becos
Sinuosos sem vida
Labirintos

Escolhas ou fugas
Confusas andanças
Esconderijos
Rijos

Os caminhos convidam
Teimam os pés
Insistem nas marcas
Seguem em frente deixando pedaços
Por todos os lados

Gramados por vezes,
Preservam as solas de outro trilhar
Consolam, desolam
Piedosos, impiedosos
Caminhos de pedras
De flores
Do destino
Corrido,
Percorrido
Sem volta

À margem, pensamentos viajam
Nas asas dos sonhos dos caminheiros
Ficando impressos
Caminhos pisados
Cheirando a histórias
De vidas infindas
Registradas...



Graça Campos, 04/11/2010.
CAMPOS, Graça. Poema. CAMINHOS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário