segunda-feira, 1 de novembro de 2010

MISTÉRIOS

Imagem web


Tentar desvendar
Incontáveis mistérios
Contidos
Em cada ser
Infinito

Para lá das nuvens, além das eras
E mergulhar no mar dos sentidos
Na flor, que se abre
No fruto que rebenta
No arrepio do pio da coruja,
No canto da acauã aos meus ouvidos
Na voz que ouço me chamar,

E me pergunto:

Quem é?

E não responde...

Mistérios que provocam e me provam
Que existem energias que con/fundem
E não há vácuo, nem tudo está perdido
E infinitamente um SER bondoso
Dá-me a força a cada passo
Sobrevivente do planeta Terra
Na mera condição de minha crença

Nenhuma folha cai em vão,
Fora do tempo...


Graça Campos, 01/11/2010.
CAMPOS, Graça. Poema. MISTÉRIOS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário