sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

PAPOULAS DAS SERRAS

Imagem da web

 
Nas serranias as belas flores
Sonhavam e viviam e bailavam
Ao som do piano VENTANIA

Umas ainda acordadas, outras dormiam
Não podiam imaginar que em pleno viço
Se esvaiam

Destino, força da natureza,
Desatino
Desfaleceram pela madrugada

Flores vibrantes, plantadas nas colinas
Eram as musicistas das montanhas
Esguias papoulas escorreram
Nas águas dos montes que viraram rio

Já não era sonho de papoula,
Nem tampouco desejo de flor
Nem brancas, nem rosadas, nem vermelhas...
Apenas rubras de vida
Gritavam, gritavam tamanha agonia!

E os galhos trêmulos
Aquietam-se após as trovoadas
Tromba d’ água!...

Eternas e saudosas
Despertarão desse sono profundo
Em outros campos

À noite terão novos sonhos
De primavera
Papoulas das serras!


Graça Campos, 21/01/2011.
CAMPOS, Graça. Poema. PAPOULAS DAS SERRAS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário