quinta-feira, 16 de junho de 2011

FIM DE TARDE

Imagem da web



Um talvez na agonia das horas
A palavra “NUNCA” será dita
A atitude ”BASTA” inflama
E queima as projeções
Persuasivas...

Uma música!

“Do you understand?
Não, ainda não entendo...

Mas, é preciso vestir-me de coragem
Encarar a noite escura
Embora todas as luzes já se acendam

O escuro, a nuvem plúmbea visita a imagem
E torna-se cúmplice de minha paisagem...

Um cachecol meio tecido em preto e branco
Amarras de agulhas da cor rosa
Dali a pouco estará perfeito
Para aquecer a pele fria do meu colo nu...

Um ontem em noite de brilho
Um hoje se vai para a vida por um fio
E a sede de calor invade a sede de um colo amigo
E a sede das verdades transborda em vias
A inundar o olhar amedrontado
Banhando-me a face que tanto sorria


Quem sabe, o mirar-se na perdição do tempo
Abra uma fenda do entendimento
Enquanto vou bebendo da ânsia
Renasce a gota que faltava
E invade-me a esperança
De uma senhora noite de luzes
De abraços, nos braços da música
Nas mãos que desenham caminhos
Rendados de sonhos de amor...



Graça Campos, 16/06/2011.
CAMPOS, Graça. Poema. FIM DE TARDE.


"Busco inspiração na natureza, nas razões, nas emoções e observações do viver.
A poesia e a pintura são contatos divinos que emanam paz, harmonia.
“Amo a Língua Portuguesa e a boa comunicação entre as criaturas...”

Graça Campos
EMBAIXADORA UNIVERSAL DA PAZ
(Cercle Universel des Ambasseurs de la Paix
Genebra - Suíça)

Um comentário:

  1. GRAÇA : PARABÉNS PELO LINDISSIMO POEMA FIM DE TARDE. AMEI E VIAJEI NAS TUAS PALAVRAS.
    JERONIMO SALES

    ResponderExcluir