sábado, 3 de setembro de 2011

CENÁRIO de PRIMAVERA

Imagem da web




Ainda na penumbra, um fio de luz, um ar de sono
Finda inverno, onde dormem abotoados sonhos
Em solo fértil ou até mesmo em uma fresta
Entre uma pedra e outra aí vem novo tempo
Sugerindo bailado de almas...
Renascem ricamente vestidas protagonistas
De finas pétalas...
Da janela, meus olhos percorrem um místico trajeto.
Adentro alamedas margeadas de hortênsias. Entre os lilases sigo à caça dos aromas.
O canteiro mágico , espaço encantado!...
Ouço o tinir da louça na cozinha, e o meu amor vem docemente trazer-me um café... Tenho a sensação de plena liberdade...
Acompanham-me a leveza de seres primaveris e o brilho intenso do sentimento por excelência, o mais belo...
Uma brisa um tanto atrevida traz-me à paisagem real.
Em segundos, retomo a ficção. À mostra, paisagem perfeita de cor, de cheiro, de vida. Duas paisagens, nenhum contraste, no entanto. Raios de sol nas primeiras cenas da primeira manhã de primavera. Em outra cena, arrepiam-me o corpo, as mais tentadoras carícias, um convite aos florais macios de meu ninho... Fragrante magnólia, flagrante suor, cumplicidade, amor, amor... Banho de pétalas, sonhos e nova paisagem revigoram-me os matizes perfumados, que primor! Rosas rubras, margaridas, lírios e algumas pequeninas flores.
Essas últimas tímidas, mas, tão duradouras ao sustento da beleza de um ciclo, enquanto inúmeras princesas desabrocham em suas peculiares apresentações. Girassol do meu quintal não para de girar. Lições de observar... Gérberas, crisântemos de toda formosura dançam em sintonia com a passarada. E os beija-flores provam da divinal poção em pétalas, as rosadas rosas, as avermelhadas, desejadas...
Damas- buquês, enlaces apaixonantes,
Cem nomes, cem flores, cada qual especial
O jasmineiro verga na estação
Exuberante a florir surge Iasmin na lua cheia das meninas
Orquídeas, camélias, flor - de- lis, amor - perfeito,
E a lendária Peônia, famosa flor de mil pétalas
Impera esplendorosa,
Mensageira dos amantes!

Ouço chamar-me! Um quase sussurro suave toca-me. Um ramo multicolorido anuncia:
- "Meu nome é Flora!
Venho sonhar contigo e enveredar-me em tuas quimeras, viver, viver e amar e sempre renascer
Em nova PRIMAVERA! “


Graça Campos, 03/09/2011.
CAMPOS, Graça. Poema. CENÁRIO DA PRIMAVERA.

2 comentários:

  1. GRAÇA : Como sempre, o teu brilho poético e a suavidade no trato carinhoso das palavras, nos faz viver e respirar uma linda manhã de primavera.
    Permita-me sublinhar teus sentimentos de raras e tocantes emoções literárias :
    da janela, meus olhos percorrem um místico trajeto.
    finda o inverno, onde dormem abotoados sonhos .
    Em outra cena, arrepiam-me o corpo, as mais tentadoras caricias, um convite aos florais macios do meu ninho... Parabéns! Jeronimo Sales

    ResponderExcluir
  2. O sonho e a delicadeza de Graça Campos transformaram este belo poema, por extensão, em prosa poética, basta admirar com cuidado.
    É muito suave! Parabéns, poetisa!

    Carinho,
    Jorge

    ResponderExcluir