terça-feira, 8 de novembro de 2011

A moça da janela


A minha mãe, linda e amada! Anos 50. Arquivo pessoal.

Olhar sonhador à rua calma, vazia
Torna-se inquieta e cheia
Mundo real e fantasia


Debruça seus braços,
Vê um mundo
De sonhos dourados


A moça da janela de madeira maciça
Tão forte e tão ampla quanto os pensamentos
Viajores
Que se vão ao longe...


A janela da moça assiste às buscas da alma
Dos olhos esverdeados,
Estrelas de esperança


Ali desfila universo de desejos
Anseios de menina mulher
Contando as horas,
Esperas transformadas
Futuros e eternos amores...


O hoje amanhecido orvalhado
Brilhante derretido pelo sol
Registra a passarela centenária
Sustento dos passos cautelosos
Na postura sensata de seu caminhar


A janela da moça
A moça da janela
Quimera!


Contou pedra por pedra
Os desiguais pés-de-moleque
Em suas sendas
Fortaleceu a construção de sua sina
Ensaiou as primeiras primaveras
E coloriu de azul o amor
Em voo livre de ser além do tempo


À ternura do olhar colhe estrelas
Até aquietar-se a colher flores
Em paisagens ousadas


Imaginário incontido das noites
De um céu feérico de luar
De serenas madrugadas
Encantos em serenatas


Áureas e frescas manhãs
Em clara face aveludada
Da flor mais bela
E mais amada
A moça da janela!...


Graça Campos, 24/04/2011.
CAMPOS, Graça. Poema. A moça da janela.


Poema dedicado a minha mãe, linda e amada! Anos 50. Foto Arquivo pessoal: Graça Campos.

10 comentários:

  1. Das Graças,que linda homenagem à Dodô!!!
    Viví mentalmente esse poema,a descrição fiel das moças do nosso tempo!
    Parabens...
    Beijos para vocês duas.Glorinha

    ResponderExcluir
  2. Glorinha, minha mãe lhe envia um grande abraço, e ficou muito feliz com suas considerações tão delicadas... Marcas da beleza serrana especialmente nas belas e fortes mulheres!...Obrigada pela visita em meu blog e pela sensibilidade!
    Grande abraço,
    Graça (Dasgraças).

    ResponderExcluir
  3. Graça : que linda homenagem a sua querida Mãe...
    realmente as mulheres mineiras são belas em todos os sentidos. Corajosas, cheias de fortaleza espiritual, e alta sensibilidade poética ...
    Parabéns por mais uma brilhante postagem.
    Teu amigo cearense Jerônimo Sales.

    ResponderExcluir
  4. Obrigada, querido amigo! Visitei "Mensajes de Luz" E parabenizo-o pelas lindas postagens!
    Grande abraço,
    Graça Campos

    ResponderExcluir
  5. Amiga, vc é demais...só nós sabemos como é gostoso debruçar no para-peito da janela e jogar aqui e alí uma conversa, um bom dia , uma boa tarde, e observar o vai e vem das pessoas, e até mesmo alí ficar com o pensamento longe ou talvéz tão perto... aposto que daí da cidade grande, sente de novo a vontade de poder vivenciar este gostoso hábito da cidade pequena. Beijos, e para o alto sempre!

    ResponderExcluir
  6. Sim, querida Fátima!
    Somos privilegiado(a)s pelas incríveis e ricas oportunidades , pelo olhar sensível por onde viajamos e sonhamos . Pois as janelas nos conduzem e expressam , na realidade, nossos desejos,sonhos, alimentando a alma. Como é bom saber se debruçar à janela e não ter pressa... Quantas saudades!
    Obrigada! Meu carinho a todos! Beijos,
    Graça

    ResponderExcluir
  7. Graça, muito linfo o poema, aliás, como todos de sua autoria. Parabéns!

    Abraços.

    Raquel

    ResponderExcluir
  8. A vovó merece! Ela continua sonhadora, na janela da vida! Bjos. Ka

    ResponderExcluir
  9. Adoro homenagens que resgatam a memória de alguém querido!

    Lindo!

    Abraço

    www.pedradosertao.blogspot.com

    ResponderExcluir