quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Muchas gracias

http://fortalezadeluz.blogspot.com/2011/11/poesia-de-graca-campos.html


SONETO III -REVERSOS/. Graça Campos
Divulgação de "MENSAJES de LUZ" Jerônimo Sales
Arte Anamar (Argentina)

Obrigada! Abraços,
Graça

BUSCAS

Imagem da web

Intensas buscas na imensidão das águas, onde cada gota é mar de possibilidades

Buscas profundas nas nuvens enigmáticas do pensamento

Buscas no silenciar de cada pensador...

Na alvorada acordam as vozes em ternas criações

E nas abstrações os ideais se vão concretos

Buscas das paisagens de nossos próprios olhos

Da indefinida e eterna idade

E na matura idade a doce visão de quase tudo ...



Traduções?...


Apenas filtros da essência a expressarem o cheiro da vida ...

Buscas!...


Graça Campos, 22/11/2011

CAMPOS, Graça.Poema. BUSCAS.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

TRADUÇÃO

Imagem da web


Às palavras  de tua boca
Inspira-te em teus ouvidos
A sentirem a ressonância da pronúncia...

Não excite a linguagem do pensamento
“Impensado”
Acorda primeiro, as diretrizes da bondade
E se assegure da semeadura

Palavras desprovidas, resfriadas
Ervas daninhas, danadas
Do tempo
Cicatrizes...

Benditas vozes que soam
Entoadas cantigas
Imitando aves canoras
Despretensiosas 
Naturalmente musicistas de suas vozes instrumentais
Encantam assim, como fazem os anjos
E alcançam a plenitude
Sossego em arranjos

E, se fechares tua boca,
Abre teu coração
Tua alma falará por ti
Para ouvires tua fala,
Apenas olha-te no espelho
Basta! 
Lê teus olhos...

E, se tens a coragem bastante,
Registra-te na tradução 
Da luz que emana de tua visão!



Graça Campos, 05/10/2011.
CAMPOS, Graça. Poema. Tradução.


terça-feira, 8 de novembro de 2011

A moça da janela


A minha mãe, linda e amada! Anos 50. Arquivo pessoal.

Olhar sonhador à rua calma, vazia
Torna-se inquieta e cheia
Mundo real e fantasia


Debruça seus braços,
Vê um mundo
De sonhos dourados


A moça da janela de madeira maciça
Tão forte e tão ampla quanto os pensamentos
Viajores
Que se vão ao longe...


A janela da moça assiste às buscas da alma
Dos olhos esverdeados,
Estrelas de esperança


Ali desfila universo de desejos
Anseios de menina mulher
Contando as horas,
Esperas transformadas
Futuros e eternos amores...


O hoje amanhecido orvalhado
Brilhante derretido pelo sol
Registra a passarela centenária
Sustento dos passos cautelosos
Na postura sensata de seu caminhar


A janela da moça
A moça da janela
Quimera!


Contou pedra por pedra
Os desiguais pés-de-moleque
Em suas sendas
Fortaleceu a construção de sua sina
Ensaiou as primeiras primaveras
E coloriu de azul o amor
Em voo livre de ser além do tempo


À ternura do olhar colhe estrelas
Até aquietar-se a colher flores
Em paisagens ousadas


Imaginário incontido das noites
De um céu feérico de luar
De serenas madrugadas
Encantos em serenatas


Áureas e frescas manhãs
Em clara face aveludada
Da flor mais bela
E mais amada
A moça da janela!...


Graça Campos, 24/04/2011.
CAMPOS, Graça. Poema. A moça da janela.


Poema dedicado a minha mãe, linda e amada! Anos 50. Foto Arquivo pessoal: Graça Campos.