sábado, 14 de janeiro de 2012

CAMINHOS

Imagem da web

 
Quando pisam os pés
À escolha dos passos,
Uns vindo, outros indo
Em busca de laços
Ultrapassam sem ver,
Na pressa de chegar
Até mesmo as pedras
No meio


Caminhos estreitos
Sem saída os becos
Sinuosos sem vida
Labirintos


Escolhas ou fugas
Confusas andanças
Esconderijos
Rijos


Os caminhos convidam
Teimam os pés
Insistem nas marcas
Seguem em frente deixando pedaços
Por todos os lados


Gramados por vezes,
Preservam as solas de outro trilhar
Consolam, desolam
Piedosos, impiedosos
Caminhos de pedras
De flores
Do destino
Corrido,
Percorrido
Sem volta


À margem, pensamentos viajam
Nas asas dos sonhos dos caminheiros
Ficando impressos
Caminhos pisados
Cheirando a histórias
De vidas infindas
Registradas...



Graça Campos, 04/11/2010.
CAMPOS, Graça. Poema. CAMINHOS.

4 comentários:

  1. Esses são os caminhos que seguem tantas vidas. Cabe a cada um saber trilhar.
    Bjsss

    ResponderExcluir
  2. Que lindo teu blog,Graça!!

    Poema que me levou por caminhos de pedras e de flores, com versos que me fizeram gostar de ambos, pois necessários são à vida...

    Abraços, voltarei
    Madalena Barranco

    ResponderExcluir
  3. Graça : caminhei nos teus versos e guiaste meus passos por alguns momentos ao ler tuas sábias palavras ... somos todos caminhantes nesta passagem finita chamada vida, e, feliz daquele que sabe onde pisa e é um bom caminheiro. Lindos versos. Parabéns. Jeronimo Sales

    ResponderExcluir
  4. Graça, visitei o seu blog e me perdi pelos caminhos da sua sensibilidade...

    Adorei.

    Voltarei a te visitar.
    Denise Alves

    ResponderExcluir