sábado, 4 de fevereiro de 2012

A FLORISTA

Acrílica sobre tela
" A FLORISTA" Graça Campos


A FLORISTA

 
Cosmonauta de viagens infinitas
Entre idas e vindas no espaço interior
Onde mora a cor dos versos, 
 Cheiro do amor
 Em pétalas da alma...

No abstrato agarra o vento, bebe da chuva
E se agasalha às nuvens
Dorme sono dos deuses
Colhe possíveis e impossíveis flores do tempo
Vê sonhos
Por entre raios de sol,
Nas asas verdes da espera...

Prenúncio de primavera!



Graça Campos, 03/02/2012
CAMPOS, Graça. Poema. A Florista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário