quinta-feira, 28 de junho de 2012

JURAS DE ESTRELAS


Imagem do Google



No silêncio da tarde preguiçosa
Um som de paz caindo como luva
Gotas de mel em notas preciosas
Anjos tocando lira em flor de chuva



Não sei se choro ou rio, ou imploro
Tamanha sensação e harmonia
Meu coração e alma e todo poro
Ouvir delícia, acorde que inebria



Tocam suave a música, lirismo
Terei guardado eterna, esse momento
Oh, divinal presença, em realismo



A noite adentra um manto de estrelas
Desejo ardente em contentamento
Juras de amor, promessas, ao revê-las...




Graça Campos, 28/06/2012.
CAMPOS, Graça. Soneto. JURAS DE ESTRELAS.

2 comentários:

  1. Amei seus poemas. Rafaela Barbosa

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo seu blog! É muito bom!Sou me tido a poeta e tenho um blog de poesia ( http://www.poesiaemprosaeversos.blogspot.com/). Vou seguir o seu blog!

    ResponderExcluir