quinta-feira, 20 de setembro de 2012

O TEMPO À FLOR ...




Tarde de agosto, final de mês, pressa do dia. Como se não bastasse a maratona das manhãs que se foram. Sol se pondo trás das serras, hora forte, das mais fortes... Tempo seco! Luz e sombra nas paredes próximas. Meninada sinaliza à saída da escola. Oscilam as horas mornas e a frescura dos derradeiros ventos do mês. A umidade é crítica. Tudo certo. A vida é movimento, e vamos nós...


Sempre estive atenta a detalhes da natureza. Encanta-me a linguagem na voz das coisas. Há certo mistério nesse linguajar... E eu gosto de sentir esse envolvimento que me traz energia vital! A paisagem está mudada. Vem se recompondo e o viver é exatamente assim. Ir e vir, desnudar-se e vestir-se, semear, colher e plantar e colher...


Na cidade, uma das avenidas é palco de notável manacá esbanjando beleza e fragrância do branco e lilás.

Em casa, um cheiro bom de café fresco e bolo de abacaxi. Lá fora, outro cheiro desabotoa novas vidas. Pequeninas princesas experimentam lindas vestes para o primeiro verão. Acrescentam os últimos preparativos multicores, leves e brilhantes. Tenho a impressão de que usam os mais raros cosméticos e perfumaria. Mera impressão!... A maquiagem é irretocável, divina!


Quase noite! Sinto que a brisa vem trazendo recados. Está a soprar notícias e, boas, por sinal. Suavidade, chuviscos de prata, disfarçados em palavras de veludo, imitando pétalas. Chegam batendo à porta de minha saudade!... Meu tempo à flor da noite...

Lá fora, vibra a vida iniciando matizes, beleza ímpar dessas dadivosas e promissoras flores à mercê do orvalho, do frio da madrugada, e nova sensação faz borbulhar os pensamentos.


Mesclada de prece e sono, gratidão e desejos, sonho sonhos intensos onde as imagens tornam-se reais. E eu começo a contemplar o cheiro da doçura, o calor da companhia, a solidão serena, o olhar minucioso do desabrochar de outra manhã...

Setembro!

O tempo à flor do dia, da tarde, na fragrância do anoitecer, à espera de leve sopro, que sutilmente, fala de vida a tocar-me a pele, os cabelos, o coração... Nova primavera, novo florescer! E eu amanheço vida!




Graça Campos, 2012.
CAMPOS, Graça. O Tempo à Flor... Imagem do Google.

Nenhum comentário:

Postar um comentário