segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

ARIANA





À luz do Sol, estrela matutina
Vislumbro o novo, permito o nascimento
Que salta desse fogo ariano, anseio de vitória
Coragem preenchida do desejo de resgates
Provações dos embates atrevidos,
Crença do mito, pelo desafio...



No vermelho de Marte,
E nas cores brilhantes
Do amarelo, e o escarlate
A coragem, otimismo ante a vida.



Eu sou semente, que reza o início
Amor fecundo, cristal me lapidando
Impaciente, em fases e desvios
Quando, impulsiva, vou me aventurando...



As minhas vestes são a transparência
De mil viagens de meus pensamentos
E, aos tormentos, busco a fé bendita
Trago no peito a pedra ametista
Recolho-me à sombra do Carvalho
E busco na beleza estelar
Fios dourados no brilho do carneiro
Para vestir a nova criação!




Graça Campos, 28/01/2013.
CAMPOS, Graça. Poema. ARIANA.


Creative Commons License

Nenhum comentário:

Postar um comentário