terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Fim da Guerra


 
 
 
Ante o despudor de seres desalmados

Uma menina nua fora arrancada

E posta a correr sem rumo à frente

De outros inocentes.

 

 

Impiedosos dilaceram indefesos...

Sinto vertigem diante da imagem

A fotografia me sufoca

Queima-me o peito.

Abro-me em feridas violentas

Sangra-me a desigualdade

Desumana / mente...

 

  

Projeto outras faces sobre aquela foto

Onde o coração apela e clama

Por acalmar os corações meninos...

 

 


Vejo acontecer uma alquimia

Desfalecendo o "papel" do homem

Levando para longe o sofrimento...

 

 


E, por desejo ardente,

Plasmam chamas de justiça.

Cessam os gritos, o choro acabou.
 
 
 
 

Faz silente o tempo!

No ruflar as asas se levantam

E sobrevoam...
 
 

 


Os homens ainda estão armados

A guerra acabou...

 

 

Graça Campos/2009. Direitos autorais
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário