sábado, 20 de julho de 2013

NOITE BRILHANTE


Primeiro, o chá da tarde, quentinho.
À noite, um caldo à moda, salpicado de carinho,
dá a impressão de alimento diferente,
antes nunca provado.


Engano puro!
O chá comum, o caldo caipira...
Tão requintado de saber e sabor indefiníveis!
E o frio se vai perdido nas conversas,
experiências narradas, sem cerimônia...


Coisas de ninho cheio,
Coisas de “ninho Vazio”?
Silêncio!
Saudades,
saudades!
Mas, eis que a lua cheia enluarada
entra em cena e, mensageira,
evidencia:


“Olha, que noite brilhante”!
Vê, oh, vida, das questões imprevisíveis...
Lembra Gibran em autoria, citando “ânsia da vida”?
" Vossos filhos não são vossos."..
Qual mãe o entenderia?



Novo silêncio!
O rigor da estação quer recompor a lágrima
que teima, escapa e rola e brilha e fala profundo:
Retoca a maquiagem e dá um riso!


Ah! Os passarinhos...
Crescem as asas, e, ensaiando voos,
Vão pelo mundo afora em busca de seus ninhos!




Graça Campos, 25/06/2013.



Creative Commons License

Um comentário:

  1. Visitar seu espaço sem ler ou admirar seu trabalho é impossível!
    Lindas sua pinturas! Tentei postar comentário por lá, infelizmente não consegui. Mas me contento em poder lhe ler e poder dizer; Que estou encantada com seu cantinho.
    Parabéns pelo lindo trabalho em arte e poesia.
    Voltarei outras vezes.
    Bjsssss

    ResponderExcluir