quinta-feira, 12 de setembro de 2013

ENTARDECER





Vai -se o dia na canção do tempo
No ciclo das auroras,
o deslizar da vida...
 

Nascido cedo,
vencido o medo do despertar,
banhou-se em raios,
branqueou as horas.

 
Condecorado dos desapegos
perdeu-se em lida.
Partidas Esperas
Demoras...
 

Na cor azul do amor o tempo 
foi “Manhã-Flor”
De polpa em vento...

 
A cor de agora é “Tarde” e, sonolenta,  
boceja bordas douradas  
 Rasga o manto febril do pensamento!
 
São tantos sóis! 
E esse  sol das horas consagradas 
nenhum lamento...

É  simplesmente luz 
do entardecer...




CAMPOS, Graça.Poema. ENTARDECER. 
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

Nenhum comentário:

Postar um comentário