terça-feira, 5 de novembro de 2013

AMÉLIA AINDA EXISTE? Amélias e Evas




Amélia ainda existe? Amélias e Evas

Diz a lenda sobre Amélia, uma mulher de VERDADE!  Perfeita. Mulher que deixa saudades, deixa tudo impecável, arrumado, arrumado... Amélia, aquela que não tinha a menor vaidade!
Não! Amélia sobrevive em sua vaidade até por demais. Seus pensamentos confusos provocam comportamentos estranhos... Obsessivos?
Perfeita em seus deveres de casa. Perfeição de quase tudo, mas, um ar cansado e pensativo. Ela se apronta, se perfuma e faz a bela maquiagem.
Espera! Sorri, apoia, se cala, e ouve! Quando Amélia fala, fala para as paredes. Quando Amélia grita, a mulher é louca! Quando Amélia chora, a relação é tosca. E tenta, e atenta! Amélia quer amor! Amélia não se define. Vai se definhando...
E a tal mulher quer salvar, navegar e acidentalmente, naufraga. Afunda em suas mágoas, nas lágrimas choradas, na falta de se amar! Amélia é tristeza, carência e dor!
Mais uma maquiagem, mais forte, produção rara, cara, contudo, não se encara!
Por detrás daquela face, camadas e mais camadas. Quer ocultar os massacres, decepções, suspiros profundos da inconsequência de palavrões. Amélia ainda existe! Amélias são tantas! São ricas e pobres, e pobres mulheres...
Interessante que elas se misturam nas camadas socias. A qualquer uma dessas mulheres “perdidas” diante de causas vividas, Amélias (momentâneas) trocam de nomes. Recebem rótulos e títulos inacreditáveis de seus “amores”.
Como se vivêssemos no “Tempo das cavernas”. Mas, quanto ao ditado, parece que há engano. Os homens das cavernas eram grossos, “Obesos”. Havia diferenças. Papeis e respeito. Parceria?
Um dia, inventou-se uma mulher pecadora por motivos sensuais. Os homens com h temeram e, amedrontados, nem se atinaram a dividirem a tal “culpa” dos desejos e impulsos. Para onde foram as Evas? Para o exílio de si próprias!
As Evas se esconderam, cobriram seus pertences que não lhes pertenciam.
Tempos remotos... Tempos modernos!
Histórias e lendas vão se desenrolando... Novas EVAS vão aparecendo... EVAS e Amélias vão setransformando.em novas mulheres conscientes da importância de se preservarem e cultivarem o sagrado ser feminino. A exigirem respeito, respeito mútuo para que a chama da essência humana esteja sempre viva!

O arquétipo de Amélia vem da  visão do comportamento submisso, obediente. Uma mulher que não pode nem deve questionar. Se 'questionar", dá "azar"!
A partir do momento em que existir essa dependência e submissão,  a velha Amélia vem à tona acompanhada da  opressão!





CAMPOS, Graça. Texto. Amélia ainda existe? 04/10/2013




Creative Commons LicenseThis work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

Nenhum comentário:

Postar um comentário