terça-feira, 7 de janeiro de 2014

AO SOM DA NOITE



Ao som da noite,
a música que toca o coração
é sol em pleno dia,
embora seja noite bem calada.
Soletro notas respirando a magia
do tom que escorre, adentra madrugada.

Enquanto, lá fora, se derramam 
aquarelas de minha fantasia
Suave melodia acolhe a seiva fértil da recriação...


Dormem poemas,  
e sonham os sonhos mais profundos
 Acordam rindo,  contornando rastros
Compondo  versos de cheiro e cor
Que se enrolam pelos alabastros
Saudando as horas mudas na arte da dança
Em seus compassos...


Saudade bate à porta da canção!
"Saudade dói,  
mesmo que na presença"
Prece alivia!
A espera, o reencontro
enxuga o pranto.


A música serena, o silêncio da noite
E, sobretudo, o amor,
mais forte  companhia!

Saudades de ti, Luciana!
Vem logo, filha amada!
Passar as Boas Festas com a gente!





Graça Campos, 09/12/2013.
CAMPOS, Graça. Poema. Ao som da Noite.

This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

Nenhum comentário:

Postar um comentário