domingo, 12 de janeiro de 2014

LAGO do SILÊNCIO




Dormem as águas serenas do lago
sono profundo,
 sonho calado...

Leve aceno remexe a cabeleira verde à margem,
enquanto, gota a gota nasce a vida
na  fluidez cristalina...
Versos acordam o poema de quem vê,
ouve o sereno das pedras,
e sente o bocejar das águas...

O lago declama poesia perfeita
ao som do silêncio!



Graça Campos, 12/01/2014.
CAMPOS, Graça. Poema. LAGO DO SILÊNCIO
Foto Cachoeira da Fumaça. Santo. Antônio do Itambé/MG.



Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

Nenhum comentário:

Postar um comentário