terça-feira, 7 de janeiro de 2014

VERSOS DA VIDA





De mim a natureza caçadora
misto de rima e prosa, versos inversos,
realidade e fantasia...
Da vida, a poesia da alma,  
mitos e lendas e os desencantos...

Sou andarilha catando sons de um universo
onde há sossego,
ânsia do tempo,  justiça,
clemência,
loucura e lucidez
na teimosia e transparência
que se desmancha em choro e lágrimas
de riso...


De antes, sopro de vento,
clarão de lua de todas as fases...
Das ondas, volvo incertezas.
E do mar de minha alma
eu bebo  vida!
Mas minha sede, ah, sede minha 
infinda,
é das verdades bem resolvidas!


Aventureira  na escalada
de outros montes além de mim.
Sou passageira como águas calmas
e inquietas dos rios...


Coruja mãe, que cedo madruga no sentimento do filho
Mulher  menina, crescendo aos trancos
Madura a consagrar e decantar
maturidade!


Ao relampejo,  trovejo  se algo me atina
Persigo a dança dos cabelos, a trançar  fios
dos pensamentos.
Teimosa.... Pois, delas tranças,
me despenteio uma por uma
aos desafios...


Adentro as sendas da consciência,
corro em veredas, minuciosa
Sinto os sussurros que me assopram ,
cochichos breves,
intuitivos...
Ao que passar,  desato os nós...
Somente aceno, 
coisas amenas,
uso temperos do sal da terra,
ao mel sabor...


Reverencio as origens na curvatura das  histórias,
ao que devo, guardo
onde o oleiro  ensinou moldar o barro
que a própria lida concede e cria esperançosa
cheirando a terra molhada...
Tanta vivência abençoada!


 Dos Sonhos... Cheiro de flor, paisagens belas
sonhos de dor,  amor,
de fé e crença
saudades muitas  
das convivências pelas aldeias e prados mansos... 



CAMPOS, Graça. Poema. VERSOS DA VIDA

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

Um comentário:

  1. Graça : Belo poema , texto maravilhoso . Parabéns . Jerônimo Sales .

    ResponderExcluir