sexta-feira, 21 de março de 2014

“MUSA” IMORTAL


“MUSA” IMORTAL

Definir poesia seria lamentar impotência do que seja sentir?

O sentido que dá a poesia de ser.
Poesia de tudo
de cada e do todo
gloriosa, sedutora emoção ou
refúgio da dor, de outrora e do agora?

Poesia tem vida, tem olho e boca.
Tem passagem a passos profundos,
tem volta!
Corpo e alma repleta do que houve e há de vir...
Broto de vida, suspiro de morte...
 SÓ SUSPIRO!

Do silêncio do grito sorver amor e sorte
de serenar silêncio sereno
convidando a mente:

“Brotem sementes
de versos brancos, brandos, negros, pardos,
descontrolados de paixão,
 e arrojados,
ritmados,
rimados ,
vergando verdades  agarradas aos fios,
verbos rasgados,
direitos e tortuosos”...

Que chovam poemas de ouvir e sentir
e em solo fértil  a “MUSA”imortal  
declame e dance com as outras deusas
fluindo  a paz e a beleza
que o mundo tanto carece!



Graça Campos. CAMPOS, Graça. POEMA.  “MUSA IMORTAL”.
21/03/2014. Dia MUNDIAL DA POESIA.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

Nenhum comentário:

Postar um comentário