sábado, 13 de setembro de 2014

DE PRIMAVERA EM PRIMAVERA...



Oh, natureza de meu ser, mulher selvagem! Por quê? Porque permito harmonizar as cordas agitadas de meu coração... Quietude é preciso! Aquietar-me é possibilidade, quando o deserto é miragem magnífica , e é possível ver as flores... Os sonhos são lucidez, as tempestades são alusivas à longevidade, o fogo da fogueira da ave fênix sinaliza vida. E eu vou querer a plenitude das horas duras e suaves e aprender sempre com as pequenas coisas.

O tempo? É paisagem da janela de minha alma. A vida... É força, teimosia e bênção!

O amor? Eu amo!...



De Primavera em Primavera... 16/04/2012. 
Graça Campos
Lincença Criative Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

Nenhum comentário:

Postar um comentário