quinta-feira, 2 de outubro de 2014

FOME DÓI E MATA...




FOME
Indigno senti-la e não saciá-la! 
Fome no estômago,
é dor no pensamento
Tristeza no âmago...

Sensação humana
desumana
mal-estar
violência!

Fome de sonhar
descrença!

Fome mata, indigno morrer de fome!
Dor aguda, 
Ingrata!

Onde estará a fome do fim do desprezo,
pelas mãos inocentes clamando pela vida,
pelo olhar caçador de um prato de comida?

 Até quando  esse  tremor de nossas mãos famintas?

Oh, fartos homens de um mundo cruel faminto de sapiência,
Enchei os estômagos de consciência!
Reparti o alimento da sobrevivência,
o direito de prosseguir...
PORQUE A FOME DÓI E MATA!
Tomai por riqueza a ciência da realeza
 de sermos iguais
perante O “Ser” Humano...


Maria das Graças Araújo Campos.
Poema. Fome dói e mata...
Graça Campos, 16/09/2014. MG/Brasil.





Fome dói e mata!
Mata aos pouquinhos
torturando
enlouquecendo o estômago e mente,
retirando o brilho do olhar que se esvai sem forças...
Choro mudo de voz perdida, embutida  e dilacerada
Vertendo lágrima seca,
a ´ultima gota da vida,
de coração partido!

Graça Campos, 29/092014.

http://silviamota.ning.com/group/biopoesia/page/biopoesia-n-1-a-fome-no-mundo




Lincença Criative Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

Nenhum comentário:

Postar um comentário