quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

CAPIM DOURADO




Nos campos de capim 
brotaram fios de ouro...
E em cada caule, 
uma flor branca desponta...
No início ou fim?
Semeando riqueza!

Ah, eu quero um chapéu de capim dourado!...
Quero os cestos e anéis,
e pulseiras...

Quero ver sempre ouro dos campos
semeados,
bem dourados!


Graça Campos, 15/01/2014

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

PINTURA





Quanta beleza em ti,
oh flor,
Branca Luiza!
Entre douradas nuvens,
e marés,
os teus cabelos voam como seda,
E teu olhar é sonho
encantador!

Tu és miragem da poesia amor
Enquanto a tinta vira aquarela
Vou me inspirando em mais uma tela!



Graça Campos, 08/01/2014.
CAMPOS, Graça. Poema. PINTURA.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

ALFAZEMAS



Tenho sede desse aroma que me deixa  cheiro e cor
de coragem
Tenho fome dessa paisagem  que me fortalece e lava a alma,
dessa florescência que abranda as horas
e lembranças rudes...

Vejo as alfazemas e respiro paz,
sei que sou capaz.

O meu canto é livre,  vem nos versos brancos,
sou  cheiro  de flor...
Vou catando as cores dos dias e noites
de sonhos perdidos e realizados,
onde estilo e garra, jeito feminino
trouxe novas vestes!

Alfazema, cor,
flor que lava a alma, cura e acalma,
floresce os amores!

Ao sabor do vento, que me despenteia,
soam os recados de seus ramalhetes,
enlaces da vida...

A mulher que sou, e a mulher que fui,
hoje inteira, plena,  tal qual borboleta 
entre as alfazemas,
corro pelos campos ,
vou enchendo frascos 
de suave olor!


Quem foi que plantou tamanho esplendor,
banhou-me o suor da lida sofrida,
levou além-era a sorte de ser?


Quem foi que me viu?
Quem sou?

Guerreira lilás, vestida de força e colhendo braçadas da divina flor!


Graça Campos, 14/01/2014.
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

domingo, 12 de janeiro de 2014

LAGO do SILÊNCIO




Dormem as águas serenas do lago
sono profundo,
 sonho calado...

Leve aceno remexe a cabeleira verde à margem,
enquanto, gota a gota nasce a vida
na  fluidez cristalina...
Versos acordam o poema de quem vê,
ouve o sereno das pedras,
e sente o bocejar das águas...

O lago declama poesia perfeita
ao som do silêncio!



Graça Campos, 12/01/2014.
CAMPOS, Graça. Poema. LAGO DO SILÊNCIO
Foto Cachoeira da Fumaça. Santo. Antônio do Itambé/MG.



Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

"OLHARES de MULHER"



"PEDRELINA, a vendedora de bananas
Óleo sobre tela da série "OLHARES de Mulher"
“PEDRELINA” é uma homenagem à mulher coragem, carinho e fortaleza, que enchia as ruas do Serro de “ALEGRIA”, vendendo frutas, em especial, bananas e sorrisos. Às mulheres do campo!

Pintura Graça Campos
Foto Ari Campos

ura Graça Campos

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Mãos acariando a "ESPERA"


Pintura a óleo sobre tela. Graça Campos

ARTE... Linguagem Universal!




Busco a constância dos encontros onde a linguagem universal ouve o canto do silêncio, conversa com a mudez das coisas e cala diante do que ainda não entende! 

Sorvo e absorvo a cor das cores, e, aguardo o desprender de instantes em que a alma fala.
E se revela ao mundo!



Graça Campos, 06/01/2014.
Foto: Ari campos




Creative Commons LicenseThis work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

No atelier... De Minas Gerais para o mundo!


Valiosas esculturas em madeira  da artista CONCEIÇÃO MIRANDA.


Com muito orgulho, divulgo a maravilhosa arte 
de minha tia Ceição, CONCEIÇÃO MIRANDA.  

Pedaços da natureza! Madeira!

Recolhidos , acolhidos e transformados em figuras mágicas 
renascidas da força e coragem para visão de um novo tempo 
através das talentosas mãos da artista Conceição Miranda, 
da cidade de Serro MG.
E o tempo seco, sem vida um quase nada, é hoje  um inusitado e belo acervo.


Graça Campos, Janeiro de 2014.
Aguardem mais publicações.



Foto Ari Campos
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

ENCANTO DIVINAL





Indescritível sentimento
Confesso!

Nem sei se estou...
Sei que sou
Um manifesto!

Além, as águas delicadas
Em seus berços de pedras
Escorregam, deitadas!
Aqui, cascatas brandas,
Fluem a clorofila rendada...

Cheiro de santuário
Bromélias frescas, heras e esperas...
Na consciência,
a brisa reverencia as cores salpicadas!


Em mim, a devoção.
Em Lótus,
o encanto divinal!


Graça Campos, 08/01/2014.
CAMPOS, Graça. Poema. ENCANTO DIVINAL.



Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

CORAL DE ASAS




Bem vinda, borboleta!
Coral par de asas
em voo sutil,
que queres segredar?

Ligeira e graciosa, em voltas mil
em minha mão vem pousar?

Bem-vinda, borboleta!

Graça Campos, 07/01/2014. Poema e foto.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

LIÇÃO DE GIRASSOL





Quero a lição do girassol! 
Dançar, dançar, 
girar mil vezes!

Na cor dourada, viçosa,
redescobrir em cada florescer,
o novo,
o sentido da vida!

Graça Campos, 01/01/2014. Poema e foto.



Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

AO SOM DA NOITE



Ao som da noite,
a música que toca o coração
é sol em pleno dia,
embora seja noite bem calada.
Soletro notas respirando a magia
do tom que escorre, adentra madrugada.

Enquanto, lá fora, se derramam 
aquarelas de minha fantasia
Suave melodia acolhe a seiva fértil da recriação...


Dormem poemas,  
e sonham os sonhos mais profundos
 Acordam rindo,  contornando rastros
Compondo  versos de cheiro e cor
Que se enrolam pelos alabastros
Saudando as horas mudas na arte da dança
Em seus compassos...


Saudade bate à porta da canção!
"Saudade dói,  
mesmo que na presença"
Prece alivia!
A espera, o reencontro
enxuga o pranto.


A música serena, o silêncio da noite
E, sobretudo, o amor,
mais forte  companhia!

Saudades de ti, Luciana!
Vem logo, filha amada!
Passar as Boas Festas com a gente!





Graça Campos, 09/12/2013.
CAMPOS, Graça. Poema. Ao som da Noite.

This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

VERSOS DA VIDA





De mim a natureza caçadora
misto de rima e prosa, versos inversos,
realidade e fantasia...
Da vida, a poesia da alma,  
mitos e lendas e os desencantos...

Sou andarilha catando sons de um universo
onde há sossego,
ânsia do tempo,  justiça,
clemência,
loucura e lucidez
na teimosia e transparência
que se desmancha em choro e lágrimas
de riso...


De antes, sopro de vento,
clarão de lua de todas as fases...
Das ondas, volvo incertezas.
E do mar de minha alma
eu bebo  vida!
Mas minha sede, ah, sede minha 
infinda,
é das verdades bem resolvidas!


Aventureira  na escalada
de outros montes além de mim.
Sou passageira como águas calmas
e inquietas dos rios...


Coruja mãe, que cedo madruga no sentimento do filho
Mulher  menina, crescendo aos trancos
Madura a consagrar e decantar
maturidade!


Ao relampejo,  trovejo  se algo me atina
Persigo a dança dos cabelos, a trançar  fios
dos pensamentos.
Teimosa.... Pois, delas tranças,
me despenteio uma por uma
aos desafios...


Adentro as sendas da consciência,
corro em veredas, minuciosa
Sinto os sussurros que me assopram ,
cochichos breves,
intuitivos...
Ao que passar,  desato os nós...
Somente aceno, 
coisas amenas,
uso temperos do sal da terra,
ao mel sabor...


Reverencio as origens na curvatura das  histórias,
ao que devo, guardo
onde o oleiro  ensinou moldar o barro
que a própria lida concede e cria esperançosa
cheirando a terra molhada...
Tanta vivência abençoada!


 Dos Sonhos... Cheiro de flor, paisagens belas
sonhos de dor,  amor,
de fé e crença
saudades muitas  
das convivências pelas aldeias e prados mansos... 



CAMPOS, Graça. Poema. VERSOS DA VIDA

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.