quinta-feira, 27 de março de 2014

GRITO... Lúcida Loucura




De repente, era puro riso,
correria, ia...

Clamava a passageira pela via
e, o tempo...

Cadê o sol?  Cadê a Lua? Nenhuma estrela havia.

Trancou o riso, “chorou os olhos”, nem lágrima vertia.
Silenciou-se, e pode ouvir um som “longínquo”,
que vem de dentro, tão perto,
um coração quase desfeito.

Roubaram-lhe a garganta
e, pálida de vez, sem cor a tez,
avista um oceano de sentidos,
pardos deslizes, atmosfera plúmbea,
sem melodia alguma,
a incomodar a corda ao equilibrista...

Não há plateia
o silenciar profundo
criou verso insano à revelia
teimando o querer mais cristalino
repaginada poesia que guardou segredo,
tamanha dor...

De repente,
um frouxo riso, desafinado,
se compõe no vento
e o ventre fértil lavra
a
palavra,
desafiando a lúcida loucura de viver vedada ao mundo,
recompõe a voz
e se faz grito...




Graça Campos 27/03/2014

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

Egípcia


sábado, 22 de março de 2014

O BEIJO



eu pedra
por um instante
virei poesia
magia da existência
beijo dado...



Graça Campos, 22/03/2014.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

sexta-feira, 21 de março de 2014

Traga-me um copo d'água tenho sede!

ÁGUA - Patrimônio do PLANETA!
Não basta comemorar! É preciso ter a consciência e preservar!



O Dia Mundial da Água foi criado pela (Organização das Nações Unidas) no dia 22 de março de 1992. O dia 22 de março, de cada ano, é destinado a discussão sobre os diversos temas relacionadas a este importante bem natural.


DESTINO




Um sobreiro secular
Fora um dia, árvore pequenina
Assim como também fui um menino
Deslizando meus sonhos
Em barquinhos de papel

Inda criança
Tecendo fio da vida,
Embalei a esperança
Construí para minha lida
Uma leve embarcação

Meu destino:

Um sobreiro
Um fio, um rio
Um lamento:
Gemido gelado...

O’, sobreiro de meus sonhos partidos
Dos remos quebrados,
Nos braços das águas perdido...
Não percebeste o mover-se veloz, a correnteza
Junto à fúria do vento, gelados gemidos,
Descompassadas batidas do meu peito?

A moira já desperta e se levanta
Prepara-nos o sustento matinal
Já aquecida a lareira se encontra
Não lhe falta a coragem da espera
Mas não se ouve o pisar nas folhas secas

A aldeia dorme...
Nem um mísero sinal de meu retorno
Cá estou mergulhado no mais profundo sono
Onde as águas revoltas dissolveram
Um por um dos meus sonhos...



Graça Campos, 27/09/2010.
CAMPOS, Graça. Poema. DESTINO.
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

“MUSA” IMORTAL


“MUSA” IMORTAL

Definir poesia seria lamentar impotência do que seja sentir?

O sentido que dá a poesia de ser.
Poesia de tudo
de cada e do todo
gloriosa, sedutora emoção ou
refúgio da dor, de outrora e do agora?

Poesia tem vida, tem olho e boca.
Tem passagem a passos profundos,
tem volta!
Corpo e alma repleta do que houve e há de vir...
Broto de vida, suspiro de morte...
 SÓ SUSPIRO!

Do silêncio do grito sorver amor e sorte
de serenar silêncio sereno
convidando a mente:

“Brotem sementes
de versos brancos, brandos, negros, pardos,
descontrolados de paixão,
 e arrojados,
ritmados,
rimados ,
vergando verdades  agarradas aos fios,
verbos rasgados,
direitos e tortuosos”...

Que chovam poemas de ouvir e sentir
e em solo fértil  a “MUSA”imortal  
declame e dance com as outras deusas
fluindo  a paz e a beleza
que o mundo tanto carece!



Graça Campos. CAMPOS, Graça. POEMA.  “MUSA IMORTAL”.
21/03/2014. Dia MUNDIAL DA POESIA.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

quinta-feira, 20 de março de 2014

OUTONO




são pedaços de mim
de histórias sem fim
dos caminhos cobertos
coloridos tapetes
farfalhando a memória
e acordando
viçosas lembranças...


Graça Campos, 19/03/2014.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

terça-feira, 18 de março de 2014

COLO DE MÃE



Carreguei no pensamento,
esperei o amor
que brotou
da semente

e o vento
trouxe a mais bela arte:

Concreta
Intocável
Repleta!

E no ventre, no colo nos ombros
em solo, nas águas do tempo,
carreguei na cacunda
sem nenhum medo
de ficar corcunda...



Graça Campos,18/03/2014.
CAMPOS, Graça. Poema. Colo de Mãe.




sábado, 15 de março de 2014

MANHÃS em MENSAJES DE LUZ

MENSAJES DE LUZ MENSAJES DE LUZ APRESENTA em NOITE DE CHUVA FINA E VENTO SUAVE, POEMA DE MINHA AMIGA E POESTISA MINEIRA, GRAÇA CAMPOS Leia todo o conteúdo do belo escrito de Graça, intitulado “Manhã" com uma tocante composição natural ao descrever os tons iluminados da manhã de sol.

Graça, como sempre, prende a atenção do leitor do começo ao final de seus versos poéticos.






Minha gratidão ao poeta e professor Francisco Jerônimo Sales, que, atenciosamente, 
apoia e divulga as artes e os artistas.
Abraço fraternal.
Graça Campos


14 de marco - Dia Nacional da POESIA!

POETA e POESIA POESIA E POETA


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

TEREZA RAINHA Especialmente no mês da MULHER







A minha babá foi inspiração para “Tereza Rainha "

de repente a gente se vê de volta à infância
vê também os brinquedos
sente o cheiro de fruta no pé
e, num passe de mágica,
abraça as pessoas que tomaram conta da gente.

Tereza!
maravilhosa, sábia, engraçada
carinhosa , leal, protetora
sossegada conta histórias, dá colo,
adivinha o que a criança quer

uma rainha, um presente
saudade boa demais de sentir...

amo você, minha “Tereza Rainha”!

CAMPOS, Graça. Poema e pintura.



Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

sábado, 8 de março de 2014

PORQUE A VIDA SE FAZ URGENTE...



Quero a ternura do sagrado feminino
que enlaça o mundo e dá calor,
transborda amor!

Olhar com olhos atentos
visionários que leem rumos além das cordilheiras
sinalizando que é tempo...
Sondar um jeito de trilhar cantando na profunda voz do grito
e do silêncio
captando sons do que há de fora
e do que há de essência...

Secar o pranto, gargalhar o riso
reerguer  das cinzas,
porque a vida se faz urgente
e é preciso ter garra!




CAMPOS, Graça. Poema. PORQUE A VIDA SE FAZ URGENTE...