sábado, 30 de agosto de 2014

ÁGUAS ENGASGADAS

Essas atitudes me encantam!
Empolguei-me ao ver as fotos dos belos trabalhos de crianças se conscientizando!
LUIZA:










Águas engasgadas

Soluços azuis cantam e choram o choro engasgado
O grito da consciência borbulha nas cabeças
Sabemos que a água é vida e a vida não pode cessar...

Graça campos
(Vovó Graça). 30/08/2014.

Creative Commons LicenseThis work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License. Lincença Criative




Creative Commons License



segunda-feira, 25 de agosto de 2014

DOS CÉUS DE ALBÂNIA, MADRE TERESA!




Dos céus de Albânia
A estrela que reluz, luz- esperança
Desce à Terra, e em suas andanças,
Mil corações afaga na lembrança,
As notas afinadas da canção
Do amor que cura
Por caridade, oh, missionária indiana...


Com seu olhar piedoso à natureza humana
Que, em prantos, quer socorro, sente dor
Dá colo e calma à criança sem dono
Com suas atitudes humanistas,
Sopra-lhes o calor, o bálsamo, provento...


Seus passos leves, mas, ligeiros pelo mundo
Acalenta coração e estômago
De quem está ao léu por essa vida...
Sem cerimônia, se aproximava dos enfermos
Dá-lhes doces palavras breves e sutis,
Encantadoras preces, fé e persistência:

- “Semeia paciência! Espera com esperança!
O Pai não desampara nenhum filho.”

Amor de madre, tuas vestes amparam
Seres humanos que se veem nas valas
Com tuas mãos, ergue-os em fervor!
Madre Teresa, das lições bondosas,
Tua alma bendita ensinou-nos sorrindo,
O remédio “sorriso”
Fez poesia de palavra e obra...
Na coragem precisa,
Convida a todos à vida bem vivida
E, ao abraçar, serenamente, ameniza
Os derradeiros suspiros
De tantas mortes, Madre Teresa de Calcutá!




Maria das Graças Araújo Campos
Graça Campos. Poema. DOS CÉUS DE ALBÂNIA, MADRE TERESA! 19/06/2014.

A MIL POEMAS A MADRE TERESA.

DOS MEUS VESTIDOS



Saudades da Nazinha!
Nazinha, com suas mãos de fada,
jeito suave de conversa e riso.
Dava gosto vestir a peça impecável...

Dos meus vestidos,
Dois favoritos, artisticamente feitos por ela.
Branco bordado, bordado inglês,
Foi presente do namorado.

O outro, verde, cheio de flores...
Flores cunhadas por outra artista.]
D. Alzirinha,
Serena e bela!

Toda orgulhosa, adolescente,
Em tempos de colégio,
Desfilei pela cidade
representando a Primavera...

Tempos dourados!
Fardados de inocência
e felicidade!

Quanta saudade!
Das doces e prendadas mulheres
Que rebordavam sonhos!


Graça Campos, 15/08/2014.

Lincença Criative Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

INSPIRAÇÃO




Seria um milagre reverter os traços
que ultrajam uma sina?
Dor de amor de princesa,
doce imagem de menina!...


Busquei por ti, minha flor,
na mais completa dose de um doce amor
Nasceste radiante e bela
A inspiração da aurora que trouxeras
Na infinita paz, quiçá, uma quimera


Foste gerada em plena primavera...
Sonhei contigo numa idade linda
Dos teus primeiros sete anos de uma vida
Isso, bem antes do teu nascimento
Já eras bela tal qual, nascerias.
Musa doirada, de olhos coloridos
E desejei a ti o maior dos amores...


Hoje a inspiração da poesia
Afia a dor da alma que sucumbe
Quanto, da vida, és aventureira.
De ser feliz assim dessa maneira?

Oh, céus! Aos anjos eu imploro
Que se faça justiça na Terra dos Amores
De sentimentos que, de tão sofridos,
Tornaram oceano de teu choro


Hei de te ver, querida, um dia, tão feliz!...
Tamanha essa tal felicidade
Que o próprio amor de ti terá inveja
Inspira-me, teu franco olhar,
Que, por ser nobre, nunca se perdeu
Inspira-me a tua fortaleza
Espelho-me em teu brio, filha amada,


Meu anjo bravo, oh, minha criança,
Hoje, mulher buscando a esperança
E acreditando na força de ser
Lição da rima que a chorar, me põe,
Inspiração de uma branca flor!

E eu chamar-te-ei BRANCA LUIZA
Pois esse nome no sonho remoto
Tu escolheste e fora quem ditaste
Na branca Luz da alva Luiza
Traz-me a brisa fresca em parceria
Paixão que o mar um dia revelou..



Graça Campos,07/01/2011
CAMPOS, Graça.Poema. INSPIRAÇÃO.

"Busco inspiração na natureza, nas razões, nas emoções e observações do viver.
A poesia e a pintura são contatos divinos que emanam paz, harmonia...
“Amo a língua portuguesa e a boa comunicação entre as criaturas...”

Graça Campos
EMBAIXADORA UNIVERSAL DA PAZ
(Cercle Universel des Ambasseurs de la Paix
Genebra - Suíça)

Lincença Criative Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

AÇUCENA





Lírio diáfano, teu cheiro divaga nos campos
E levemente adentra os portais da altivez,
onde és formosa “Flor-da Imperatriz”
Cheia de graça, tua essência escala os montes do Olimpo
E, acolhida por deuses, teu brilho translúcido
Reflete nas colinas viçosas!

Tamanha formosura, como é que consegues esconder
tuas angústias?
Qual motivo, qual foi a razão de tanta tristeza?

Açucena, menina, tão bela em teu brilho e frescura
Banhaste de orvalho ou é lágrima tua?
Há um misto de choro, coração apertado...
É saudade, AÇUCENA, de teu ser amado?

Se aquieta, Açucena, que o amor vai passar
E afagar teus cabelos e olhos de mar!
E soprando  cantigas o vento e a brisa , o sol e luar
vão trazer-te razão
De outra vez sonhar!...


Graça Campos, 11/08/2014



Pintura de Vicente Romero.