sábado, 21 de março de 2015

"TEREZA RAINHA”




          
Um olhar de volta à infância e “TEREZA RAINHA” surge das lembranças da minha doce Babá...
Daquela Bá, moça nova, que tantas vezes me deu colo, acalentou-me, embalou-me ao som de histórias fascinantes
Da roça, do milharal, dos ruídos vindos do mato...

E, quando o dia ficava “EMBRULHADO”, dizia TEREZA, sempre cheia de sabedoria:
-“Fica queta, minina, qui num demora chuvê.”
E eu lhe perguntava: -Como você sabe?
Ela, tranqüila me dizia: -“É qui to sintino uma moleza nu corpu”...

As histórias de TEREZA me levaram ainda mais ao interesse pela Literatura, pois sabia dramatizar, causar suspense e ela própria dava boas risadas...
Essa me encantou por ser paciente, humilde, sempre protetora, amiga, fiel...
TEREZA é uma RAINHA, um presente, uma saudade boa de sentir...

Em um desses encontros deliciosos que a vida nos permite, ela carregou-me novamente, dessa vez, diante das minhas três filhas, chamou-me:  - “Minha minina ”...


TEREZA, CONTOS E ENCONTROS...
GRAÇA CAMPOS  (27/11/2007)




TEREZA RAINHA

de repente a gente se vê de volta à infância
vê também os brinquedos
sente o cheiro de fruta no pé
e, num passe de mágica,
abraça as pessoas que tomaram conta da gente.

Tereza!
maravilhosa, sábia, engraçada
carinhosa , leal, protetora
sossegada conta histórias, dá colo,
adivinha o que a criança quer

uma rainha, um presente
saudade boa demais de sentir...
amo você, minha “Tereza Rainha”!

CAMPOS, Graça. Poema. Tereza Rainha.

                    
Lincença Criative Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License

Nenhum comentário:

Postar um comentário