domingo, 26 de abril de 2015

A HORA DO ANJO



Rasgam os céus, em clarão,
olhos de Deus!
Abre-se um par de asas
Amparo e perfeição!
Missão!
Vislumbre ao ser que implora proteção!
Olhar magnânimo, terno,
Compreensão!
Benevolência e razão!
Profundezas da visão em Iris mensageira
Contemplação!
O arco - Céu e chão
Sustentação!
Silêncio, prece
Conexão!
Um voo magistral!
Encontra-se na Terra
Doçura angelical!
Percorridos degraus da ascensão
Formosas  asas abraçando espaços
Em devoção,
Amparam os nós e laços
Dementes sãos sobrevivência irmãos...

Misericórdia, céus, misericórdia!
Tantas mãozinhas apontam ao arauto
Soprando as dores, recados e seus prantos,
Acenam para o alto
Esperançosos pelas novidades!
Um novo tempo é a “Era da ESPERA”
Onde os sinos ecoam até as cordilheiras
E os corações azuis buscam as faces da bondade...
Na dulcíssima hora, cortejo de luz em resplendor,
 Desfila em grandes nuvens.
Abertos os Portais do Amor:
Das alamedas do perdão em flor...
Promessas redentoras!
Vibrante, o anjo encantador
Vigia sacrossanta hora missionária,
Da jubilosa Paz dos corações aflitos,
A ANUNCIAÇÃO
É  Hora!

Maria das Graças Araújo Campos. Poema.
Graça Campos, 26/04/2015.


Lincença Criative Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

Nenhum comentário:

Postar um comentário