sexta-feira, 24 de abril de 2015

Onde mora a grandeza das coisas...



Onde mora a grandeza das coisas...

Em simples acordar
E ver
Enxergar!
Espaços preenchidos de minúsculas essências
Imagem evidente em pormenores
Traços naturais...

ORVALHO!

Tremula ao vento, mas tão sereno sereno,
Saudando o dia,
Despede-se o choro pela madrugada!


Aos poucos, banha-se em primícias luzes
E adormece!

Entre um espelho e outro
As faces do dia
Em promessas de amanhã...




Maria Das Graças Araújo Campos
Graça Campos, 24/04/2015. Lincença Criative Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

Nenhum comentário:

Postar um comentário