segunda-feira, 29 de junho de 2015

ESPELHO DE FÉ


Fé, crença e esperança
Pelas ruas do tempo que ora
Dando vivas e glória
Na dança dos corpos e almas
Misto de cores que afugentam lágrima de outrora...
E, no riso atual, o festejo e cantar
Persistência indígena, junta forças do viver
Entre espadas marinheiras...
Ouço o toque das caixas onde o couro sangrou tantas vezes
Em gemido de senzalas... 
Hoje a festa- alegria é mostra no peito
Coloridos coletes bordados,
E penas felizes, cocares.
Pendurados os brincos, pulseiras
Passam fitas, caminham ritmados
Índios, brancos e negros
Com seus mantos florados
Onde a chita estampada é espelho de fé e louvor.
Tradição de Mãe África!
Salve, Salve, a Virgem dos Pretos, 
Salve, Mãe, Senhora do Rosário! 
Mãe de todos, na Terra e nos Céus,
Daí-nos bênçãos, proteção e amparo!
Maria das Graças Araújo Campos
Graça Campos. Poema. ESPELHO DE FÉ.

Foto do Google Blog Vanessa Matos

Nenhum comentário:

Postar um comentário