sexta-feira, 2 de outubro de 2015

A "Obra" que compõe "O espaço da obra" - MASP - a mais conhecida obra de Lina Bo Bardi













 Imagem Fonte Google
Visitar o MASP, caminhar e observar a riqueza artística exposta em seus pavimentos, é como viajar no tempo, buscar entender a história, as artes, a vida quotidiana de épocas remotas e sentir, mesmo sem saber  expressar o que se sente. Encontrar-se através das  energias que se tornaram eternas através dos pigmentos, das cores, da matéria-prima até que se faça a obra de cada um, a partir do que se vê.  
Sincronia, sinestesia, deslumbramento, emoção! Valorização, desejo, inspiração! Reconstrução, desconstrução e reconstituição de nós mesmos, quando a imagem, o desenho, a escultura, enfim, a obra mexe com o “eu”, pois todos somos ali, o conhecido e o desconhecido.

Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand completa hoje, 68 anos de sua inauguração e está entre os maiores do mundo, considerado  o mais importante museu de arte ocidental do Hemisfério Sul.
Não há quem não se emocione diante da beleza  a partir da arquitetura às demais artes de grandes mestres que se eternizaram através de seus trabalhos  na História da arte e da humanidade.
O MASP nasceu de um sofisticado conjunto de projetos  (urbanístico, arquitetônico, estrutural) além da beleza que o tornou um dos mais belos cartões -postais da cidade. Lembrando que essa maravilhosa construção iniciou de um dos projetos da arquiteta Achillina Bo, romana, cujos anos de infância tumultuados, desde quatro anos de idade, quando já presenciava  final da Primeira Guerra Mundial, mas, seu talento como pintora e desenhista já aflorava em meio ao nazifascismo, e  pós-guerra. Lina Bo Bardi, nascida em Gênova em 1914, estudou em Roma, naturalizou-se brasileira, e amava a pátria, o Brasil, que chamou de “pátria de escolha”.
Desafiadora, movida pela arte de verso e imagem concreta decorada de vidros, pensada e repensada nos mínimos detalhes dos suportes e dos objetivos de suas  idéias primeiramente humanistas.
“Arquitetura, para mim, é ver um velhinho ou uma criança com um prato cheio de comida atravessando elegantemente o espaço do nosso restaurante, à procura de um lugar para se sentar, numa mesa coletiva”, disse certa vez no SESC Pompéia /1970 (SESC Pompeia, que se tornou uma forte referência para a história da arquitetura na segunda metade do século XX).
Lina foi também estilista, chegou a desenhar roupas e jóias, principalmente nos primeiros anos no Brasil. Senhora de desenhos arrojados, humanista,  a mulher que se empenhou no projeto e construção da nova sede do MASP, com a sua poesia de concreto e de vidro sobre vão de  metros de altura. Era o maior do mundo naquela época.
Das mais altas colinas do bairro do Morumbi, São Paulo,a arquiteta italiana Bardi construiu, um dos ícones do acervo modernista brasileiro, a casa do casal. A Casa de Vidro abriga hoje o Instituto Lina Bo e P. M. Bardi, criado por ela e seu marido, o crítico de arte Pietro Maria, em 1990.
Lina deixou verdadeiro legado para o país, grandes e importantes construções. Imagina-se o que tenha enfrentado, sem contar os contratempos, e questões pessoais, tendo vivido em época de sociedade ainda muito mais machista, sendo estrangeira, etc. A mulher visionária, dona de sua cabeça, e de suas ideias fantásticas, inovadora estaria com seus cem anos comemorando o aniversário do MASP.
A senhora  do espaço criado e criador de uma infinidade de leituras, e releituras, uma fantástica “biblioteca visual”, o espaço que compõe a obra, o olhar de cada vez que se inspira e respira a cultura, os artistas e suas artes  e o povo na arte da vida!
Visitando o “Museu” festejando -se o aniversário!  
"Eu não nasci aqui, escolhi este lugar para viver. Por isso, o Brasil é meu país duas vezes, é minha 'Pátria de Escolha” Lina Bo.



Quando estou diante da obra, acalmo, vibro, esqueço o mundo, adormeço para acordar os desafios. Que  meus olhos adentrem o espaço mais íntimo que se pode enxergar perante a exposição do outro no espaço e no tempo...
Graça Campos

Maria das Graças Araújo Campos, A Obra que compõe  o espaço da obra MASP - a mais conhecida obra de Lina Bo Bardi. 02/10/2015. MG/Brasil.




Lincença Criative
Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

Nenhum comentário:

Postar um comentário