terça-feira, 3 de novembro de 2015

ÁGUA “Pranto” FOGO “Desencanto”


ÁGUA “Pranto” FOGO “Desencanto”
Um dia  esbocei o pensamento em  grito  de alerta  
e colori o  “PRANTO”!
No exílio das águas, mais que saudades,  o desencanto!
Acenam labaredas atuais, ardendo em ramas...
Jamais imaginei pintar o fogo assim devastador,
e as cenas do cotidiano escorrem lágrimas,
secam pastos e rebanhos,
Afogam-se refugiados na sede da sobrevivência,
E os refúgios  "viram" sonhos de novas residências...
Um caos! 
Em pleno mar de vida,
Queimando em  labaredas,
ou naufragando no choro da alma aflita...
Vão desfazendo  o eco  da existência, 
em 
tons
de
cinza,
lembranças restantes
De amor à vida!
Habitantes! 
A natureza queima e arde em brasas desumanas...
ÁGUA “Pranto” - FOGO “Desencanto”
Imagem Fonte: Google
Maria das Graças Araújo Campos, 03/11/2015
Poema. ÁGUA “Pranto” FOGO “Desencanto”  



Pinturas a óleo Graça Campos

Lincença Criative Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-No Derivative Works 3.0 Brasil License.

4 comentários:

  1. Passando para ver as novidades...

    Água é tudo...


    No fim de tudo, quem vai lavar a louça?

    A resposta está no Blog Pedra do Sertão...é necessário passar lá para saber...

    http://www.pedradosertao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa Noite, Pedra do Sertão! Água , o princípio e o fim! Obrigada pela carinhosa visita! Vou passar para lhe fazer uma visita! Com muita honra! Beijosss

      Excluir
  2. Rica de conteúdo e beleza plástica, a postagem do pranto da água, e todo o seu blog
    Parabéns! Linda poetisa. .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que imensa alegria, querida Lufague! Obrigada, poetisa maravilhosa! Beijosss
      Volte sempre!

      Excluir