domingo, 6 de novembro de 2016

... poesia com seu fôlego é movimento que narra...


Não raro, a poesia toma um ar cinzento, na verdade, captação do ser sensível que há dentro de nós. Poeta é quem sente e escreve sentimentos, a poesia está aí hoje, assim, acabrunhada, e amanhã ela escreve sol de alma lavada...
Há quem diga que poeta vive nas nuvens... Grande mérito!
Quem sabe, de lá, traz no verso, a transparência do verbo de modo mais sutil, a que olhares conturbados, impossibilitados de enxergar, inspirem-se em sopros de fé, e esperança, sem lamaceiros...
Obreiros dessas lavras, que se lavrem com exatidão, histórias detalhadas daqui, de lá, de todo lugar.
Enquanto houver quem faça e fale e escreva e ore, em temporal, seca, ou sombra, e uivo de vento, avalanches, naufrágios e tormentos, a poesia com seu fôlego é movimento que narra, descreve e argumenta, declama e encena todo o tempo...


Maria das Graças Araújo Campos
Graça Campos, 05/11/2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário